segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Parou carro em vários locais para atear fogos em Monchique e Portimão

Um homem de 49 anos que está acusado de ter causado o incêndio que consumiu milhares de hectares de mato e floresta, em Monchique e Portimão, em setembro de 2016, começa hoje a ser julgado no Tribunal de Portimão, por seis crimes de incêndio, um deles agravado.


Segundo o Ministério Público, os fogos que Carlos Fernandes ateou provocaram incêndios, alguns de grande dimensão, que consumiram milhares de hectares de mato e floresta e ocasionaram prejuízos de diversos milhões de euros e obrigaram à evacuação de dezenas de residentes e de hóspedes e funcionários de um hotel.

Ainda de acordo com a acusação, o arguido terá parado o seu carro várias vezes ao longo da estrada e "pegado fogo a mato seco com um isqueiro". Nesse dia, "o tempo estava muito quente e seco, com temperaturas máximas situadas entre os 32º e os 40º e uma humidade relativa inferior a 30%".

Residente na zona de Loulé, o arguido tem família e trabalhava como barman na Quinta do Lago.

Quando foi detido e apresentado ao juiz, disse ter problemas psiquiátricos e que naquele dia estava sob efeito de medicação excessiva. Afirmou só se lembrar de ter ateado um fogo. Mais tarde, contestou a generalização que foi feita pela Polícia Judiciária, que lhe atribuiu a autoria de todos os fogos ocorridos no dia 3 de setembro, na zona de Monchique. Sustentou ainda não haver provas, nomeadamente testemunhas, que o coloquem nos locais onde deflagraram os fogos.

O arguido encontra-se atualmente em prisão preventiva, na cadeia de Silves.

Despronunciado num caso
O arguido não foi pronunciado pela autoria de outro incêndio, em Odelouca, Silves, uma vez que não foi confrontado pelo Ministério Público com a acusação dos factos relativos a esse crime.

Combate envolveu 1900
No combate aos fogos ateados pelo arguido estiveram envolvidos cerca de 1700 bombeiros, 200 militares, 570 veículos, helicópteros, aviões médios e bombardeiros.

Ateava fogo
Quando foi detido, o arguido disse ao juiz só se lembrar de ter ateado um incêndio na encosta norte da Fóia, na serra de Monchique, onde foi apanhado em flagrante delito por um casal de militares da GNR que se encontrava de folga.

(Fonte CM)

Sismo com epicentro em Arraiolos foi sentido em Portimão

O sismo de magnitude 4,9 na escala de Richter ocorrido hoje, com epicentro a cerca de seis quilómetros de Arraiolos, no distrito de Évora, não causou danos, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


Num novo comunicado, enviado às 12h10 de hoje, o IPMA informou que o sismo foi registado nas estações da rede Sísmica do Continente às 11h51 e teve epicentro a cerca de seis quilómetros a Norte-Nordeste de Arraiolos, no distrito de Évora.

"Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima IV (escala de Mercalli modificada) na região de Elvas", afirmou o IPMA, realçando que poderão ser emitidos novos comunicados se a situação o justificar.

Num primeiro comunicado, o IPMA tinha indicado que o epicentro deste sismo se localizou a cerca de oito quilómetros de Arraiolos.

O Instituto recorda que a localização do epicentro de um sismo "é um processo físico e matemático complexo que depende do conjunto de dados, dos algoritmos e dos modelos de propagação das ondas sísmicas", lembrando que "agências diferentes podem produzir resultados ligeiramente diferentes".

"Do mesmo modo, as determinações preliminares são habitualmente corrigidas posteriormente, pela integração de mais informação", acrescentou.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Autódromo Internacional do Algarve promove-se no Autosport International the Racing Car Show

O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) está a marcar presença este fim-de-semana, 11 a 14 de Janeiro, pelo terceiro ano consecutivo, num dos maiores eventos de automobilismo: “Autosport International the Racing Car Show”, que se está a realizar em Birmingham, na Inglaterra, promovendo não só o circuito como as provas internacionais que ali se vão realizar ao longo deste ano.


Saliente-se que o AIA vai receber este ano as 24H Endurance Series, de6 a 8 de julho, o Campeonato Mundial de Superbike, de 14 a 16 de setembro, o Algarve Classic Festival de 19 a 21 de outubro e o European Le Mans Series de 26 a 28 de outubro.

O Autosport International the Racing Car Show realiza-se na National Exibithion Center (NEC) e é o maior evento europeu automobilístico indoor da pré-época, o qual cobre todas as áreas do desporto motorizado, tanto a nível profissional, como ao nível amador, que vão desde o Karting à Fórmula 1.

O evento deste ano conta com mais de 600 expositores, onde se podem encontrar empresas de engenharia especializadas, fabricantes e grandes marcas do mundo automóvel, sendo o mesmo aberto não só aos profissionais, que contam com dois dias exclusivos para networking, mas também ao público em geral.

(Fonte regiao-sul.pt)

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Doze milhões para reforçar areia de praias algarvias

Mais de 12 milhões de euros vão ser gastos, até ao final do ano de 2020, no reforço dos areais das praias de Alvor Nascente e Vau (Portimão), Vale do Olival (Lagoa), Armação de Pera (Silves), Oura (Albufeira) e do troço entre Forte Novo e Garrão (Loulé). O investimento consta do Plano de Ação Litoral XXI, elaborado pelo Ministério do Ambiente.


Metade do valor total - seis milhões de euros - é destinado a obras de alimentação artificial do troço entre Forte Novo e Garrão, visando reduzir o risco associado às arribas. O investimento será suportado pela Agência Portuguesa do Ambiente, Câmara de Loulé e privados. A conclusão da empreitada está prevista para 2020.

Mais avançado está o processo relativo ao reforço do areal e do cordão dunar da frente de mar de Alvor Nascente, com a extensão de um quilómetro. O concurso público da obra foi lançado no passado dia 28 de dezembro, prevendo o investimento de 1,85 milhões de euros. Será usada areia dragada da barra e ria de Alvor.

Ainda em Portimão, o alargamento da praia do Vau, com areias provenientes da praia da Rocha, vai custar um milhão de euros. O prazo do fim da empreitada é 2019.

No que se refere às praias do Vale do Olival e Armação de Pera, a alimentação artificial visa minimizar o risco das arribas, tendo um custo estimado em dois milhões de euros. A obra deve estar concretizada no prazo de cerca de dois anos.

Em Albufeira, serão investidos cerca de 1,5 milhões de euros no enchimento da praia da Oura. Está programada a conclusão da empreitada em 2020.

(Fonte CM)

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Deputados municipais analisam e votam Orçamento da Câmara de Portimão

O Orçamento da Câmara de Portimão para este ano deverá ser discutido e, previsivelmente, aprovado pelos eleitos da Assembleia Municipal na próxima Quarta-feira, 17 de Janeiro.


A sessão foi iniciada no passado dia 27 de Dezembro, mas os deputados municipais consumiram todo o tempo disponível na apresentação e discussão de moções e propostas, não tendo chegado a debater o Orçamento, o que deverá acontecer no dia 17.

Mas ainda antes de chegarem a esse ponto da ordem de trabalhos, os eleitos portimonenses vão ter, ainda, de analisar e discutir uma informação escrita apresentada pela presidente da Câmara, Isilda Gomes.

O Orçamento da autarquia para 2018, que já foi aprovado em reunião de Câmara, com os votos favoráveis dos eleitos do PS, dois votos contra dos vereadores do CDS/Servir Portimão e do Bloco de Esquerda e a abstenção do representante do PSD, ascende a 60 milhões de euros.

Cerca de 10 milhões de euros deverão ser canalizados para investimento, sobretudo ao nível da reabilitação e recuperação dos espaços verdes e de vias de comunicação do concelho. A construção do novo cemitério, de um novo parque urbano junto ao Mercado Municipal e o arranjo e reabilitação de vias de comunicação são, também, alguns dos projectos inscritos no documento.

(Fonte algarvemarafado.com)

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Algarve ativa fase laranja do Plano de Contigência Sazonal

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve ativou a fase laranja do Plano de Contingência Sazonal de Inverno, com a abertura de mais 27 camas de internamento na região, anunciou esta terça-feira a ARS.


Em comunicado, a ARS/Algarve adiantou estar "a diligenciar a abertura de mais 27 camas de internamento na região para fazer face à afluência de doentes", elevando para 49 o número de camas acionadas ao abrigo daquele plano.

De acordo com aquele organismo, face à afluência de doentes no período de inverno, já tinham sido ativadas 22 camas nas unidades hospitalares de Faro e Portimão, a que se somam agora mais 27.

Durante o mês de janeiro está prevista a ampliação e a reconversão de mais 20 camas de Cuidados Continuados Integrados na região do Algarve nas tipologias de convalescença e de média e longa duração.

Segundo a ARS, serão ativadas dez camas em Portimão e dez na freguesia do Azinhal (Castro Marim) que permitirão alargar a capacidade assistencial da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI).

Esta medida, acrescenta o organismo tutelado pelo Ministério da Saúde, visa "reforçar as respostas ao nível de internamento, aliviando desta forma a pressão nos serviços hospitalares algarvios".

Na semana passada, a ARS já tinha anunciado um reforço do atendimento nos três Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da região para garantir que os serviços de saúde algarvios estão preparados para pico da gripe.

No âmbito do Plano de Contingência Sazonal de Inverno, foi feito um reforço de recursos humanos e alargado o horário de atendimento nos centros de saúde da região, nas consultas de recurso dos centros de saúde de Lagoa, de Monchique, de Portimão, de Silves, de Faro, de Olhão, de São Brás de Alportel, de Tavira e de Alcoutim.

(Fonte CM)

Mala de mão. Vai viajar?? Prepare-se para as mudanças

O número excessivo de malas de mão tem provocado atrasos na partida dos aviões um pouco por todo o mundo e, face a esta realidade, as companhias áreas preparam-se para avançar com medidas para reduzir esses mesmos atrasos. A verdade é que longe vão os tempos em que as malas não eram problema.


A Ryanair é uma das primeiras empresas a apresentar uma solução: a partir do próximo dia 15 de janeiro vai passar a proibir o transporte de malas de mão a bordo a não ser que se pague cinco euros (só mochilas que caibam debaixo dos bancos) – isto depois de ter proibido, em novembro passado, a possibilidade de se viajar com duas bagagens de mão, o que era permitido até essa data.

A TAP não fica alheia a este problema e desde setembro passado que avançou com novas regras para os voos intercontinentais ao oferecer um desconto de 6% nos bilhetes a quem viajar sem bagagem.

O certo é que a indústria deste setor está sensibilizada para esta questão e prepara-se para renovar a sua frota, tornando os aviões não só mais eficientes e económicos como também mais espaçosos. Exemplo disso é a nova aposta da Airbus que, a partir de 2020, vai instalar novas cabinas nos aviões da família A320 neo. Uma das principais novidades são os armários XL, ou seja, serão tão espaçosos que as malas de mão poderão ser arrumadas de lado.

O exemplo também está a ser seguido pela concorrente Boeing ao acenar com uma solução para os 737. Trata-se do “Space Bin” e tem como objetivo aumentar em 50% o espaço de cada armário.

(Fonte sol.sapo.pt)